Como eu me tornei vegana

Aqui eu conto como foi todo o processo para me tornar vegana

VeganoSem glúten
14 de Abril de 2020

Fotografia por Bruna Serta

Há muito tempo eu queria escrever um pouco mais sobre como foi me tornar vegana. Eu já falei sobre o glúten, e acredito que está na hora de falar sobre o veganismo na minha vida. Que por sinal, foi antes da vida sem glúten.

Eu nunca gostei de nenhuma carne.

Eu nunca comi porco na vida. E eu não vejo diferença de porco para um cachorro ou gato, então nunca consegui comer.

Eu comia a carne bovina e frango, porque tinha em casa todos os dias. Porém particularmente eu não gostava, e eu me sentia muito mal quando comia. E se não tivesse, não faria falta pra mim.

Peixes e frutos do mar em geral eu nunca gostei e não comia. Leite era uma coisa que eu também não gostava e não fazia falta. Porém, eu gostava MUITO de ovo e queijo.

Quando eu tinha uns 17 anos (há mais de 10 anos), eu decidi virar vegetariana. Cortei as carnes da minha vida, mas ainda consumia queijos e ovos. E achava que nunca seria capaz de virar vegana, porque eu não via a minha vida sem queijo. Na época que eu decidi mudar minha alimentação, o vegetarianismo não era comum, não tinham opções no mercado e nem tinha muita informação. O único alimento que tinha era: A proteína texturizada de soja.

E minha mãe que fazia os almoços na época, ela (e todo mundo) achava que a PTS substituía a carne, então tinha em todas as refeições e todos os dias. Ela fazia desde strogonoff até refogado. Chegou uma hora que eu não aguentava mais! (hoje a gente sabe que PTS não é necessário na alimentação). Além disso, na época, minha família fazia sermão todos os dias sobre a minha alimentação. Diziam que eu era radical demais e ia ficar doente.

Como eu não fazia minha própria comida e não comprava, eu decidi desistir temporariamente de ser vegetariana. E voltaria a ser quando eu tivesse a minha casa, e fizesse minha própria comida.

Com 22 anos eu fui morar na França e lá eu consegui ser vegetariana tranquilamente (eu não consegui ser vegana por causa dos queijos).

Quando eu voltei, também voltei a comer carne e não questionei, simplesmente fui levando a vida. Mas eu tava constantemente incomodada com a minha alimentação, sempre “faltava” alguma coisa.

Quando eu tinha 26 anos, eu vi um vídeo sobre uma vaca que tinha sido libertada de um matadouro, foi quando me deu um clique e eu decidi parar de comer carnes. E então no dia seguinte eu comuniquei a todos que tinha parado de comer carnes, embutidos e etc. Foi uma bela confusão. Meu pai fazia churrasco todo domingo, e então a minha alimentação virou o centro de todos os assuntos.

Na época meu namorado (hoje é meu marido), também me cobrava, porque saíamos para comer hambúrguer todo final de semana, e pra mim era muito difícil dizer “não, agora não vamos mais, chega”. Então nos sábados eu continuava indo com ele em hamburguerias e comendo.

No fim, eu acabei comendo muito mais ovo e queijo do que deveria, porque todos achavam que eu deveria compensar a falta de carne em ovos. Então minha mãe comprava por semana caixas e mais caixas de ovos para eu comer.

Mais ou menos 1 mês depois que eu virei vegetariana, eu decidi tentar ser vegana. Eu digo “tentar”, porque realmente não sabia se ia conseguir.

OBS: (E com relação a couro, peles e produtos testados em animais, eu já não usava. Eu sempre procurei empresas que não testassem ou não tivessem envolvidas em crueldade animal, então quanto a isso eu já estava bem acostumada.)

Logo depois que eu resolvi virar vegana, eu estava no mercado com a minha mãe, e ela percebeu que eu não estava comprando mais iogurtes, queijos e ovos. E lembro bem do que ela disse, ” você não tá inventando de ser vegana ne?”. Ela veio com a família toda conversar comigo, e ninguém concordou com a minha decisão. Falavam muito dos riscos de saúde que eu teria, se não comesse mais nada de origem animal. E foi uma época foi muito complicada e de muitos atritos.

Eu comecei a estudar, procurar e pesquisar sobre o vegetarianismo e a saúde. E o que eu encontrei foi surpreendente e mudou minha vida! Os primeiros vídeos que vi sobre a alimentação vegetariana estrita, foram do DR. ERIC SLYWITCH. E eu recomendo DEMAIS pra quem tá fazendo a transição. Ele fala de uma maneira clara e simplifica todas as dúvidas, que são bem comuns quando está mudando de alimentação!

Eu fiz minha mãe assistir vários vídeos, e passei para o meu namorado. Eles viram e mudaram de atitude, compreenderam, entenderam e respeitaram. E mais ou menos 1 ano depois que eu tinha virado vegana, o meu marido decidiu que iria em uma nutricionista vegana para mudar a alimentação. E no dia seguinte ele já era vegano, e nunca mais consumiu nenhum produto de origem animal.

Não vou mentir, no começo foi realmente muito difícil ficar sem queijo, eu sentia muita falta. E muitas vezes as substituições que eu fazia, não eram suficientemente boas para eu esquecer do queijo. E também faltou planejamento do que comer e de como comer. Mas toda a vez que eu pensava em comer um pedaço de queijo, eu lembrava do porquê eu estava fazendo isso, do meu propósito de vida, e então a minha vontade parecia muito pequena. E isso passou mais rápido do que eu imaginava. Hoje em dia, só o cheiro de queijo me dá enjoo!

Agora na minha casa, não entra nada de origem animal. E a gente vive muito bem. E muitas coisas eu não tenho mais referência de paladar, já não lembro do gosto. Não tenho vontade nenhuma de voltar a comer carnes, ovos, queijos. Muita gente fica com pena, achando que eu to sofrendo de vontade de comer um bife e não posso. E não, foi uma escolha minha, e eu sou MUITO feliz com a minha decisão.

E na questão de saúde, eu senti uma melhora enorme em todos os sentidos. Mas acho que isso merece um post a parte.

O que eu quero com esse post, é mostrar que cada um tem seu tempo, e seu momento. Vejo muitos veganos julgando vegetarianos, porque eles já passaram por isso e acham fácil. Mas cada um tem suas vontades, suas dificuldades e não é igual para todo mundo. E não é porque você demorou mais tempo para chegar no veganismo, que você é “pior” que eu, ou que qualquer um. Façam no seu tempo! O mais importante é ter consciência do porquê está fazendo isso e saber onde você quer chegar, seu objetivo. Porque o seu motivo vai fazer com que você não desista.

Afinal, o que é a a vontade de comer alguma coisa, por pura vaidade, quando se compara com a dor que os animais sentem? Nada!

Eu espero que o meu relato ajude alguém que, possa estar com dificuldade ou achando que não consegue mudar a alimentação, a pensar melhor sobre isso. Qualquer dúvida que você tenha, eu estou sempre disponível para conversar.



...

Chef Bruna Serta

Olá, meu nome é Bruna Serta, sou Chef Pâtissière, recrio clássicos da confeitaria francesa em versões completamente veganas e sem glúten.